Respiro fundo mais uma vez tentando recuperar a tranquilidade e o sono. Ao fundo, ouço seus passos descendo a escada, rumo à sala e ao sofá. Nosso quarto fica vazio e mórbido sem o abraço dela. E eu nem sei em que momento as coisas deram errado.

Acordei e ela já havia ido para o trabalho. Sem bom dia, sem beijo, sem café da manhã. Sem ela. As mensagens enviadas durante o dia não tiveram resposta e eu, montado no meu orgulho, também não tentei ligar.

Afinal, quem tem razão? Suas desculpas já não me fazem efeito, mas hei de concordar que minha cabeça dura de quem sempre aponta o dedo, também não nos leva a lugar algum. Como quem acredita no amor, eu me decido: não preciso esperar que as palavras que tanto anseio cheguem à mim.

Quem quer, faz acontecer.

–  O que a distância vai consertar? Se não conseguimos nos resolver juntos, separados será ainda pior. Você sabe que não será fácil te perdoar, mas, por nós, eu quero tentar. Preciso da sua ajuda, pois não consigo dormir e, simplesmente, acordar bem na manhã seguinte. Porém, eu continuo acreditando naquilo em que você insiste em desistir.

Só nossa história não basta para nos levar a diante. Por isso, não se pendure no nosso amor. Toda corda, por mais forte que seja, se esmorece com o tempo e pode se partir.

Você pode ficar brava comigo na manhã seguinte, ou à tarde, se preferir. Só não me deixe aqui sozinho, no frio.

Volta para a cama, amor.