Todo mundo passa por aquela fase, antes de um relacionamento, de fato, começar, quando há a incerteza sobre para onde as coisas estão indo.

“Será que ele realmente gosta de mim?”

“Será que ela é aquela que realmente chama minha atenção?”

E, em todos os casos, existe aquele momento em que você descobre que sim, é aquela pessoa que você quer do seu lado, é nela em quem você não para de pensar. Esses são os momentos de filmes Hollywoodianos em que a música lenta começa, o vento para de soprar e os sorrisos se abrem.

Comigo não foi diferente. Romântico às antigas, sempre achei que nosso momento seria deitado na areia contando as estrelas no céu, ou talvez num jantar a luz de velas. Que ingenuidade a minha.

O amor não se planeja.

Aliás, quem sou eu pra falar de amor? Amor não se fala, se sente, se vive. Mais cedo ou mais tarde nosso momento chegou, e foi tão simples e sutil como todos os momentos juntos têm sido desde então.

Saímos juntos, como em outra noite qualquer. Jantar, filme à dois. Eu queria pizza, ela preferiu salada. Eu adoro Tarantino, ela quis assistir uma comédia romântica. Qualquer outra pessoa poderia pensar “Somos tão diferentes, isso nunca vai dar certo!”.

E foi, então, que tudo aconteceu. Vestida no pijama do Bob Esponja, cabelo despenteado e carinha amassada de quem dormiu o filme inteiro, ela me deu o abraço. Nosso encaixe foi perfeito. Impressionante como, em um instante, pareceu que o mundo inteiro coube dentro dos meus braços.

Quando o abraço encaixar, agarre e não a solte nunca mais.

Você não é perfeita. Ele também não.

O importante é que vocês são perfeitos um para o outro.

Intimidade é isso.

Gostou? Então compartilhe esse texto com seus amigos do Facebook clicando aqui :)