Desde o primeiro filme, sempre fui fã de carteirinha da saga “Os Piratas do Caribe”, da Disney. O personagem de Johnny Depp, o pirata Jack Sparrow, transcende o universo de filmes infantis da franquia e encanta pela sua complexidade, com linguajar, trejeitos e seus apetrechos. Dentre eles, o mais cobiçado é, sem dúvidas, sua famosa bússola que não aponta para o norte, e, sim, para onde está seu maior desejo.

No filme, grande parte da cobiça e curiosidade sobre o objeto se dá por conta das personagens não saberem ao certo qual seu grande objetivo. A bússola serviria, então, para lhes mostrar o verdadeiro caminho para a felicidade – fosse ela um pote de ouro ou um beijo do grande amor.

Não é à toa que o mundo de fantasia trata sobre isso. O auto-conhecimento e descoberta do que realmente nos é importante é parte essencial da felicidade. Minha (ainda curta) vida profissional, por exemplo, me ensinou que é impossível motivar alguém. Motivação é algo pessoal e intrínsico de cada ser. Dessa maneira, o que lhe motiva jamais servirá de regra para outros ao seu redor.

E antes que você ache que este é mais um daqueles textos de auto-ajuda com métodos ~infalíveis~ para a felicidade, vou lhe contar uma coisa: não existe fórmula mágica para sua vida. É impossível comprar uma passagem para a realização de seus sonhos.

Nosso problema reside na necessidade de imediatismo para tudo. Queremos respostas e soluções antes mesmo de descobrir a causa do problema. Queremos chegar logo sem saber o caminho.

A vida é uma jornada, não um destino.

Não engula métodos prontos que prometem mudanças da noite para o dia, como quem toma um remédio porque gostou da propaganda. Quem sabe receitar é médico. Quem sabe da sua felicidade é você. Para chegar a algum lugar é preciso um ponto de partida, um trajeto bem escolhido e um destino. E você só saberá isso ao olhar para si mesma, ter coragem de se conhecer, fazer as perguntas certas e crescer.

Imagine que você acordou de manhã e, ao sair para trabalhar, colocou o seu destino no GPS. Tirou o carro da garagem e começou a dirigir. Poucos metros depois, a primeira instrução: “Em 200 metros, vire à direita.”, porém, todas as saídas disponíveis são à esquerda. Este caminho não lhe serve, certo?

Descubra onde você está e a vida lhe mostrará para onde ir.

Cada escolha é uma renúncia – e tudo bem. Não tenha medo de se descobrir. Nem de tentar.

Sua bússola sempre apontará para o norte. Então, coloque lá tudo de mais valioso: sonhos, sorrisos, amores e destinos.

Escolha seu próprio caminho e vá! Durante a jornada seu destino pode até mudar, mas o importante é poder trilhar os próprios passos.

Gostou? Então compartilhe esse texto com seus amigos do Facebook clicando aqui :)