Diferente de outros encontros, eu não estava nervoso, apenas ansioso. Nossas conversas preliminares foram suficientes para causar empatia e criar uma boa expectativa. Você era linda, mas ia além. Seu gosto musical era igual ao meu, suas séries favoritas também. Seu jeito de se expressar me atraia, suas mensagens transbordavam energia positiva, o assunto nunca acabava e eu queria conversar com você todos os dias.

Tem gente que parece que conhecemos há séculos. Sem ao menos conhecê-las.

Anoiteceu e, de longe, observei ela ali parada. Confesso não ter reparado muito em sua roupa ou em sua baixa estatura, apenas pensei “é ela”. Sem dúvidas, “é ela”. Encostei o carro, trocamos olhares comedidos, ela entrou, um beijo no rosto, iniciamos o diálogo espontâneo e seguimos em direção ao bar. Estacionamos, pegamos uma mesa descoberta e uma porção de cerveja.

Entre um gole gelado e outro, escutei histórias de terror, de comédia, sobre a sua vida e compartilhei algumas das minhas. Sem pressa. Eu apreciava seus detalhes e me divertia quando ela se encolhia dentro da blusa por causa da noite fria ou se assustava ao ouvir a palavra “fantasma”. Aos poucos, nossas almas se aproximavam e os nossos corpos também.

Nosso santo bateu.

Era nítida a sincronicidade, mas deixamos o lugar sem trocar salivas, apenas abraços aquentados, perfumes misturados e muita sintonia. Seguimos de carro até a porta da sua casa e lá estacionei. Aproximei seu rosto, encostei meus lábios nos seus, adorei o seu gosto. Leves beijos na orelha, seguido por mordidas no pescoço. Senti a temperatura aumentar, respiração ofegar, o coração tropeçar, quase cair. Os olhos brilhavam, o sorriso escapava. Por que está amanhecendo? Se não vou beijar seus lábios quando você se for.

Eu trocaria a eternidade por essa noite.

O corpo foi sem medo, descascando teus segredos, viciando no seu beijo, me encaixei no seu cheiro e ali me deixei inteiro. Você deixou um brinco jogado, roubou pedaços e, encantada, ouviu baixinho ao pé do ouvido: não vou voltar tão cedo, mas vou voltar porque.

Eu amei te ver.

Gostou? Então compartilhe esse texto com seus amigos do Facebook clicando aqui :)