Se você fosse meu não banalizaria vontades alheias, deixaria de lado cicatrizes marcadas, faria amor pelo prazer de dar e daria pelo prazer de fazer amor. Ignoraria opiniões, emolduraria seu sorriso, criaria poesias. Faria do meu coração sua morada, com espaço o suficiente para você ficar a vontade. Daria um jeito no pó, no rabisco, no caos. Esbanjaria clichês, sem platonismos.

Se você fosse meu o silêncio ganharia assunto, explicações seriam claramente traduzidas, surgiriam fundamentos para os porquês da vida. Nasceriam motivos para driblar a preguiça, a emoção ganharia caminho e declarações receberiam voz. Eu perderia a vergonha de ser inteira, mesmo que intensa, irracional e até temperamental. Eternizaria momentos que não são palpáveis. Esconderia minha insegurança e interromperia a frustração de achar que toda história é igual. Não é.

Se você fosse meu eu guardaria o medo de amar numa caixa e a esqueceria. Te aproveitaria desde a hora que acorda até a hora que deita, só pra não deixar gestos simples passarem despercebidos. Desataria o nó, faria um novo laço. Acharia uma música, faria dela nossa trilha. Dividiria meu travesseiro e recusaria sentimentos descartáveis. Encontraria o pote de ouro no final do arco-íris, só pra poder provar que este conto de falhas que vivemos, pode sim, ser de fadas também.

Se fosse você meu te provocaria falando bobagens, pra sua testa franzir e eu me perder no seu olhar. Colocaria pontos finais em todas as suas vírgulas. Viveríamos de certezas, sem quases. Te convenceria de que a felicidade a dois é tão bonita, até quando monocromática. Te mostraria que é besteira perder tempo, não vivendo o que se quer, de verdade. Te faria entender que mesmo com mil neuroses, crises existenciais, eu sou sensível pra cacete.

Se você fosse meu não me permitira apodrecer no canto do quarto, tentando entender a razão de não cumprirem promessas feitas. Não soaria tão dramático cada desabafo meu. Não me cansaria de procurar tanto sentido ao que não tem tanta importância assim. Não fraquejaria toda vez que visse meus planos aprisionados em outro alguém. Desistiria de justificar as coisas feitas pelo coração. Não me sentiria pressionada de continuar recomeços, por sentir medo de finais.

Se você fosse meu a saudade teria nome, urgência e ansiedade. Eu maquiaria o desespero de ser só, sendo feliz ao seu lado. Te ligaria em horários malucos, pra te lembrar que o amor não tem hora. Te provaria com um abraço, que angústias podem ser dissolvidas sem despejos de palavras. Te acalmaria na minha tempestade. Te eternizaria dentro de segundos, simplesmente para provar que poderíamos ser felizes para sempre, independente de sua duração.

Se você fosse meu te daria amor. Até deixar de ser.

Gostou? Então compartilhe esse texto com seus amigos do Facebook clicando aqui :)