Até um tempo atrás, não estava. Havia trancado a porta com mil cadeados e nem me lembrava onde guardara as chaves.

Agora, vem. Tô te esperando.

Para me tirar desse marasmo que é a vida em preto e branco. Tô precisando pintar as cores nesse mar de cinza em que me encontro e enxergar de novo a vida em tons mais quentes.

Pode aparecer assim, de repente, sem avisar. Tomar conta de tudo que é meu: povoar meus pensamentos, ser razão do meu sorriso, habitar a minha cama e o meu abraço. Para quando eu me der conta, já ser tarde demais.

Para me mostrar que ser feliz sozinho é ilusão. Me ensinar mais sobre o que eu pensava já conhecer e te mostrar o que eu já havia esquecido. Despertar o meu eu mais alegre e leve.

Me trazer de volta aquela calmaria de beijos verdadeiros. E também o mar revolto de paixão, de ondas perfeitas e raivosas. Aquelas que constróem a paisagem mais bonita.

O frio na barriga da incerteza, do medo de se entregar.

Vem, tô te esperando.

Mas vê se não demora.

Gostou? Então compartilhe esse texto com seus amigos do Facebook clicando aqui :)