Ela queria seguir o seu caminho.

Conversamos muito e não conseguia entender o porque dela me deixar. De ir para outro lugar sem a minha companhia. Que deveria seguir seu sonho e que, se fosse para acontecer no futuro, que assim seria.

Disse para eu ter calma.

Que ela precisava estudar, explorar outros cantos, buscar o seu propósito e, com um leve toque de individualidade, seguir com seus próprios passos até que chegasse ao topo da montanha. Era necessário viver, para depois não se arrepender.

Então eu disse para ela ir.

Hoje eu entendo o que ela dizia. O tempo passou, cada um seguiu o seu roteiro, mas as conversas da madrugada continuaram. O carinho nunca deixou de existir e eu, como um fã que aguarda a próxima temporada, esperei pacientemente.

Depois daquele período de experiências, com objetivos concluídos e milhares de novos a serem alcançados, ela retornou aos meus braços. Em um abraço apertado após um beijo caloroso, eu disse: “comigo ou não, siga em frente e deixe-se guiar pelo seu coração. Tudo acontece na hora certa. Respire novos ares, busque a sabedoria e persiga a felicidade.

Seja livre e vá viver”. Afinal de contas…

“Nem ela era minha
Nem eu era dela
Nós éramos do mundo
Mas o tempo transborda
E o mundo dá voltas
Hoje somos um do outro”.

Créditos ao poema final: Aquinno dos Reis.

Gostou? Então compartilhe esse texto com seus amigos do Facebook clicando aqui :)