Por acaso você já ouviu isso?

– “Vai sair de novo? Já não saiu na semana passada?”.
– “Olha lá, hein. Depois reclama que está cansada e sem dinheiro”.
– “Caramba, mas você não para!”.

Bom, dependendo do caso, até se releva o lado da pessoa que está questionando. Ela possivelmente – eu digo possivelmente – se preocupa com você. Mas claro, digo isso porque sempre há também aquela intrometida para querer tomar conta da sua vida.

Mas deixando isso de lado, agora pense: será que você realmente sai demais? Pense no seu estágio e na faculdade, por exemplo (ou lembre da época, se você já passou por ela).

Se você mora longe ou em uma cidade grande, são horas perdidas no transporte público, no mínimo seis horas de trabalho e mais cinco horas na faculdade, tudo isso de segunda a sexta. Você ganha seu salário suado, falta pouco (ou muito) nas aulas e se mata para pagar suas contas. Quando dá, você ainda leva aquela marmitinha para sobrar no fim do mês o abençoado VR para gastar depois. Torce para sobrar a coxinha da festa de família que rolou no domingo ou o soborô do jantar que sua mãe preparou com todo carinho.

Com todos esses sacrifícios, não é justo relaxar no final de semana?

Você sai na sexta, no sábado e às vezes no domingo. Há quem ache um exagero? Pense como um merecimento. Se você não está cansada e tem uma grana programada para estes gastos, saia mesmo! Sair, viajar, se divertir de uma maneira geral, faz bem. Ninguém aguenta só labuta. A mente precisa de descanso, e boa parcela disso se consegue com distração (e com cerveja, claro).

Não sabemos o que pode acontecer no dia-a-dia. A vida é uma viagem muito rápida, que se não for aproveitada, mais tarde pode ser tornar arrependimento. Você pode até consultar o horóscopo, mas infelizmente ele não é totalmente certeiro (apesar das grandes verdades que às vezes ele joga na sua cara).

Então quer uma dica? Estude muito, trabalhe muito e invista muito em você, mas nunca se esqueça dos seus momentos – aqueles que fazem você se esquecer de todos os problemas. Saiba conciliar. A infância passa em uma hora, a adolescência em um minuto, a vida adulta, em um segundo.

Percebeu que 2016 já era (graças a Deus)? Pois é, então viva, não apenas sobreviva.

Gostou? Então compartilhe esse texto com seus amigos do Facebook clicando aqui :)