Quando bati a porta o silêncio daquele quarto de hotel foi sobreposto pelas batidas descompassadas do meu coração. Um medo irracional tomou conta do meu corpo. Eu suava frio, gelado, assustado. Sem qualquer explicação. Pensei em dormir, então, apaguei as luzes e, na escuridão, deitei sobre os lençóis da cama de casal.

Mas não funcionou.

Os sintomas se agravaram. A boca cada vez mais seca, pernas irrequietas e uma insônia perturbadora. Alguns minutos depois – que pra mim pareceram uma eternidade – levantei, tomei uma ducha quente, vesti uma roupa qualquer, saí apressado, desci pelo elevador até o térreo e sentei, sozinho, próximo ao balcão do bar. Pedi uma cerveja, depois outra e outra. Misturei gim, tequila e alguns outros destilados. Aos poucos meus sentidos foram se afogando nas doses e o medo desvanecendo. Subi quase que cambaleando, me joguei sobre a cama e apaguei.

Desculpa, tá? Mas hoje eu não quero conversar sobre amor.

Eu quero contar pra vocês o que poucas pessoas sabem, afinal, até então não deixei transparecer sobre minha crise de ansiedade, o desespero que é sentir o coração explodindo dentro do peito e como é difícil enfrentar esses demônios. Talvez alguns pensarão que sou fraco, patético e até farão piadas sobre o assunto, mas quer saber? Foda-se. Sei que muitos aqui estão já sofreram isso ou algo parecido e sentem o travesseiro de penas pesando uma tonelada. É pra vocês essa mensagem.

Você não está sozinha.

Eu também perco o sono por preocupações descabidas, imagino um milhão de coisas que poderiam estar acontecendo – quando na realidade não faz o menor sentido. Às vezes sinto o estômago revirar, perco a fome, deixo de fazer algo legal por querer ficar sozinho. É foda, né? Mas com o tempo aprendi que nossas maiores batalhas são contra nossos próprios demônios e tenho lutado contra eles todos os dias – quase sempre vitorioso.

Não, eu são sou depressivo. Longe disso! Minha energia é muito positiva e aqui, tão distante de vocês, eu tô tentando compartilhar essa boa energia com vocês. Se a gente não pode tomar um café pra desabafar sobre nossos problemas, espero que você receba esse texto em forma de um carinhoso abraço e quando sentir seus próprios demônios atormentando seu sono, seja forte e saiba que você vencerá, afinal.

Você não está sozinha.

Gostou? Então compartilhe esse texto com seus amigos do Facebook clicando aqui :)