Desde pequenos, aprendemos que perdoar é a forma mais altruísta de felicidade. De fato, a tradução bíblica da palavra “perdão” quer dizer “abrir mão, deixar ir”.

Mas e quando não conseguimos perdoar?

Você já parou para contar quantas cicatrizes do passado carrega? Quantas angústias ainda lhe roubam o sono? Quantas lembranças ruins descompassam seu preocupado coração?

Fique tranquila.

Perdoar é divino, mas ninguém pode te cobrar níveis papais de paciência! Afastar-se de quem lhe traz energia negativa, de quem não soma, te feriu ou ou continua a ferir mostra mais maturidade do que um perdão dito apenas da boca para fora.

Saber o que lhe faz mal e conseguir desvencilhar-se é um constante aprendizado, uma descoberta de si mesma e leva tempo. Mas pode trazer tanto alívio quanto conseguir, de fato, perdoar alguém.

Vale ressaltar que ser gentil com o próximo é um exercício necessário, pois cada um tem uma história que desconhecemos e deve ser respeitada. Sendo assim, é necessário sempre dar oportunidade para explicações e investir tempo analisando fatos.

Todos nós vamos magoar alguém em dado momento de nossas vidas e, por mais injusto que seja, a chance de magoarmos alguém próximo é muito maior, já que são as pessoas com quem passamos mais tempo.

Porém, sua própria saúde emocional deve estar sempre acima de qualquer obrigação para com aqueles que não lhe fazem bem.

Quando perdoar não for possível, siga em frente e tenha calma. Lembre-se, nada para a máquina do tempo – e o tempo cura tudo.

Gostou? Então compartilhe esse texto com seus amigos do Facebook clicando aqui :)