Estava na bancada do bar esperando para pedir uma bebida, quando olhei para o lado e a vi. Ela conversava com uma amiga e gargalhava provavelmente por conta de alguma loucura do dia anterior. Vestia uma blusinha curta, shortinhos e chinelos. Sem sutiã, completamente livre, tinha um piercing em um de seus mamilos. Não consegui esperar para pensar no que eu ia falar. Quando vi, já estávamos conversando. Eu fazia piadas ruins e arrancava seus sorrisos.

Não demorou muito para percebermos que havia uma química enorme. Puxei-a para mim e a beijei segurando sua cintura, descendo por seu pescoço, enquanto ela agarrava meu pau por cima da calça, ali mesmo no canto do bar.

Saímos em direção a outro bar a convite de amigos que conhecemos horas antes. Parecíamos dois adolescentes se beijando ininterruptamente. Chegamos e nos demos conta que não havia como esperar até que voltássemos ao hotel. Tinha que ser ali mesmo. Puxei seus cabelos por trás de sua cabeça e em um forte beijo com uma leve mordida em seu lábio, perguntei: “Vamos sair daqui?”

Ela concordou sem hesitar. Puxou minha mão até o segundo andar, onde vimos um cômodo escondido. Era um banheiro, acredito que exclusivo para funcionários. Assim que fechei a porta, ela se abaixou, me puxou pela minha cintura, abriu o zíper e colocou meu pau em sua boca. A partir daí, eu não estava mais no controle. Era puro tesão. Ela chupava com força e delicadeza, lambendo a cabeça e massageando as minhas bolas. A sensação era indescritível. Ela ainda pedia para que eu puxasse seu cabelo, enquanto ela chupava.

Depois, a levantei, arranquei seu shorts e caí de boca com ela em pé mesmo. Seus gemidos eram altíssimos, o que aumentava meu tesão. Quando percebi que ela estava em êxtase, enfiei até o fundo. Estava muito molhada. Consegui sentir suas costas arrepiando em cada metida. Ela puxava minha cabeça para me falar sacanagens ao pé do ouvido e pedia que eu apertasse sua bunda com força.

Fomos assim até gozarmos, e mesmo depois, ainda continuamos nos beijando, abraçados. Completamente suados e ofegantes. Nos vestimos depressa e saímos. Voltamos, bebemos e dançamos até nos cansarmos. A convidei para dormir comigo. Nosso quarto era compartilhado, mas quem disse que ligamos? Foi a noite toda.

No dia seguinte, tomamos café juntos, e nos momentos de silêncio, ríamos olhando um para o outro ao lembrar do que fizemos na noite passada. Nos despedimos com um beijo acalorado e um abraço carinhoso.

Ela é de longe. Não sei se nos veremos novamente, ou se ao menos vamos nos falar, mas com certeza lembrarei da noite em que fui completamente dominado por aquela garota. Aquela maluca intensa, que sem medo de se entregar aos seus desejos, nos trouxe uma noite perfeita.

Escrito por Vinicius Makoto
Instagram @vinimakoto

Gostou? Então compartilhe esse texto com seus amigos do Facebook clicando aqui :)